Doutores Sem Fronteiras leva saúde bucal à aldeias indígenas e ribeirinhos em Rondônia

Doutores Sem Fronteiras leva saúde bucal à aldeias indígenas e ribeirinhos em Rondônia

O projeto Doutores Sem Fronteiras visitará comunidades ribeirinhas e aldeias indígenas de Rondônia entre 30 de junho a 23 de julho. O objetivo é atender mil pessoas e realizar dois mil procedimentos gratuitos pelo mais de 40 profissionais, a maioria dentistas, que atuam na ação.

O fundador da Associação Doutores Sem Fronteiras, Caio Machado, ressalta o projeto. "A área da saúde foi criada há centenas de anos para salvar vidas, não temos o direito de usá-la apenas para lucrar, com certeza essa não é a essência, por isso o projeto é tão importante", diz.

Serão oferecidas desde palestras de prevenção e cuidados com higiene bucal até cirurgias dentárias complexas. A equipe utilizará alta tecnologia a técnicas desenvolvidas exclusivamente para trabalhar com as dificuldades apresentadas nas regiões de difícil acesso, como as que serão atendidas. Também serão distribuídos mil kits de escovas e atendimentos infantis.

As atividades serão divididas em duas etapas. A primeira que ocorre entre os dias 30 de junho a 9 de julho será realizada nas aldeias Lapetanha e Uru-eu-wau-wau com o apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai), Secretaria de Saúde Indígena (Sesai) de Vilhena, Associação Metareila e Kanindé.

A segunda etapa vai atender as comunidades de Nazaré e a Reserva Extrativista (Resex) do Cuniã, no Baixo Madeira, entre os dias 10 a 23 de julho. O barco que irá com todos os equipamentos para os atendimentos dentais saíra do Porto do Cai n'Água com parceria do governo estadual e levará também dois médicos e a Defensoria Pública do Estado (DPE) de Rondônia.

O projeto

A Associação Doutores Sem Fronteiras tem como objetivo percorrer aldeias e comunidades da Amazônia, levando especialistas da odontologia e, por meio da colaboração de seus associados, erradicar a falta de acesso de determinadas populações aos atendimentos básicos de saúde, educação e bem estar, sem interferir na cultura, religião e características sociais das localidades atendidas.