Presidente espanhol diz ser contra 3ª eleição, mas a disputará se necessário

Presidente espanhol diz ser contra 3ª eleição, mas a disputará se necessário

O presidente interino da Espanha, Mariano Rajoy, afirmou que não vai recuar nem pretende desistir de disputar a terceira eleição no país, embora seja contra o pleito, por uma razão "puramente democrática" e por considerar que o líder socialista, Pedro Sánchez, não pode construir uma alternativa.

Rajoy reconhece que o líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) não mudará de atitude e permitará sua reeleição, mas seguirá tentando convencê-lo. Ele diz que pretende voltar a entrar em contato com Sánchez após as eleições regionais que acontecerão no País Basco e na Galícia, no dia 25, por acreditar que sua colaboração é a única opção existente.

A Espanha vive uma grave situação política, pois nenhum partido consegue maioria para formar um governo capaz de administrar o país. Os espanhóis foram às urnas em 20 de dezembro do ano passado e novamente em 26 de junho deste ano, mas nenhum candidato obteve a maioria da Câmara (o voto de ao menos 176 dos 350 deputados).

Rajoy analisou a atual situação política da Espanha em conversa informal com jornalistas na cidade de Kazan, na Rússia, durante a escala para reabastecer o avião da Força Aérea Espanhola. Rajoy segue para Hangzhou, na China, onde ocorre neste domingo e segunda a cúpula do G20, grupo que reúne as maiores economias do planeta.

Rajoy não abre mão de sua candidatura em nome de outro candidato do Partido Popular (PP) e assegura que nem Sánchez nem o líder dos liberais dos Ciudadanos, Albert Rivera, com quem assinou um acordo, fizeram uma proposta desse tipo.

Embora não deseje a realização das terceiras eleições, o presidente interino garantiu que, se for convocado, pretende novamente ser o candidato de seu partido. "Eu me sinto ótimo. Vou defender o direito de governar do PP e vou fazer isso até o último momento".